Virgínia e o visto canadense (Tô aqui ainda, Brasil!)

Como já imaginava, não consegui embarcar hoje porque a belezinha do meu visto ainda não chegou. Ontem remarquei minha passagem, papai pagou paguei uma multa salgada pra American Airlines de 200 dólares. Por sorte, foi apenas o pagamento da multa pela remarcação, já que não havia diferença nas tarifas. Ressalvo: planeja fazer intercâmbio? Começa a economizar desde logo. O governo dá passagem, dá computador, dá seguro saúde, mas sempre surgem despesas que não estão previstas no orçamento do CNPq.

O post abaixo é extenso e chato. Mas caso o caro leitor queira pedir autorização ao Canadá pra estudar por lá, clica ali embaixo 

Quanto ao visto canadense, funciona da seguinte forma: se você planeja estudar no Canadá por um período inferior a 6 meses, é possível entrar no país apenas como visitante. No meu caso, que passarei 1 ano, o processo é diferente – mais caro, mais complicado e mais demorado. Estudantes que ficarão por lá durante mais de um semestre devem solicitar um study permit ao consulado canadense.

- Tá, Virgínia. Mas como é que eu faço isso?

Primeira coisa: prepara o bolso. Depois, há três opções. São elas:

1) Contratar um despachante na sua cidade pra assumir as suas dores de cabeça.

2) Juntar toda a documentação e enviar ao VAC – Visa Application Centre. O VAC é uma espécie de despachante “oficial” do consulado canadense.

3) Juntar toda a documentação e levar você mesmo ao consulado.

Até agora não conheci ninguém que entregou tudo diretamente ao consulado, então não sei exatamente como funciona. Só sei que, para fazê-lo, é necessário agendar o horário da visita e tudo o mais. Só deve funcionar bem pra quem mora em São Paulo.

Contratar um despachante é simples: vai-se a alguma agência de viagem, paga-se pelo serviço e pronto. O serviço é caro, mas a dor de cabeça é reduzida a quase nenhuma.

Para submeter o pedido através do VAC, são os formulários do tópico Permissão de Estudo a ser preenchidos. Os formulários obrigatórios são os cinco primeiros da lista. Explico:

  1. Formulário de consentimento do VAC: o mais fácil de preencher. Basta pôr o nome, endereço e assinatura nos campos indicados.
  2. Study Permit Form – IMM 1294: muita calma nessa hora. Alguns itens são bastante óbvios, mas outros nem tanto. Vou pôr aqui o que deve ser escrito apenas nos mais complicados (ou ao menos os que tive mais dúvidas)
    1. Parte 1
      1. UCI: Aqui deve-se pôr o universal client identification number, caso o tenha. Este número só tem quem já deu entrada em algum processo na imigração canadense. Se é a primeira vez, como no meu caso, deixa-se o campo em branco.
    2. Partes 2, 3, 4 e 5: Informações pessoais, idiomas, passaporte, informações de contato. Bem fácil.
    3. Parte 6: estudos no Canadá – apesar de alguns campos serem bem óbvios, vou detalhar todos.
      1. Name of school e Complete address of school in Canada: Nome da instituição e endereço. Fácil.
      2. My program of study will be - aqui, coloca-se o que será estudado lá. No meu caso, chemical engineering.
      3. Duration of expected study: No campo from, data prevista do começo dos estudos e, no campo to, data prevista pro término.
      4. The costs of my studies will be:
        1. Tuition: custo das mensalidades acadêmicas. Normalmente essa informação é dada na carta de aceite da instituição para a qual o aluno vai. Como não havia o valor da tuition na carta de Queen’s, a orientação que recebi foi a de preencher “0″ e anexar ao formulário uma carta declarando que todos os custos serão pagos pelo CNPq.
        2. Room and board: estimativa dos gastos gerais. As universidades também costumam fornecer essas informações, em seus próprios sites. Como aqui eu também não tinha o valor preciso, fiz a ma coisa que no campo tuition.
        3. Other: outras despesas. Todo mundo que conheço deixou o campo vazio.
    4. Partes 7 e 8: formação acadêmica e empregos já tidos. Também é fácil de preencher.
    5. Parte 8: informações base (?). Uma série de perguntas toscas que, a menos que você já tenha sido preso ou condenado a algum crime, devem ser todas respondidas com “No”.
  3. Family Information Form – IMM 5645: aqui serão preenchidas a informação de todos os familiares. Pai, mãe, irmãos , primo de 8º grau, cachorro, gato, bicho de pelúcia. Tudo!
    1. Primeira coisa, marcar o tipo de solicitação. Se meu visto é de estudos, minha opção “Student”. Óbvio.
    2. Section A: Nome, data de nascimento, estado civil, país de nascimento, estado civil, endereço e ocupação. Marca também se eles pretendem o acompanhar na viagem. Não tem cônjuge? Deixa em branco e assina o campo “I certify that I do not have a spouse or a common-law partner“.
    3. Section B: informações relacionadas aos remelentos filhos e filhas. Se tiver, coloca o nome de todo mundo. Se não tiver, assina “I certify that I do not have any children, either natural or adopted
    4. Section C: informações relacionadas aos irmãos. Mesma coisa: não tem irmãos? Assina de novo.
    5. Section D: certificação. Agora só assina.
  4. Questionnaire for Additional Information: escreve tudo o que tá pedido, em português mesmo, depois assina.
  5. Checklist de documentos – Permissão de estudos: esse checklist diz exatamente quais são os documentos que devem ser enviados, além dos formulários preenchidos. Imprima-o, organize os documentos, assine-o e envie-o junto ao pacote.

Só uma observação: vá ao HSBC e pague pela taxa de serviços do VAC, pela taxa de processamento do visto e, caso queira receber o passaporte em sua casa, consulte o valor da entrega para a sua região com a DHL e pague por ela também. Escreva um documento o qual discrimine os valores dos depósitos, assine e grampeie os comprovantes todos.

Ok. Preencheu tudo? Separou todos os documentos que são pedidos no checklist? Assinou tudo?  Conferiu? Conferiu de novo? Agora envia tudo pro VAC.

Assim que o envelope for entregue ao VAC, é enviado ao solicitante um e-mail com a confirmação do recebimento e o número de acompanhamento do processo.

- Agora acabou, Vi? Só esperar o passaporte e correr pro abraço, né?

Claro que não! O próximo passo é esperar pelo formulário médico e agendar uma consulta. No Brasil inteiro, são apenas 16 os médicos credenciados ao consulado canadense e conseguir uma vaga pode demorar. Recomendo que a consulta seja agendada logo que os documentos sejam enviados. Preferi esperar pelo formulário e só consegui consulta pra uma data distante, fato que atrasou ainda mais o recebimento do meu visto.

Minha consulta foi feita em Recife, com o Dr. Paulo de Almeida. Custou mais que os olhos da cara e toda a consulta não demorou mais que 7 minutos. Antes da consulta, fiz exames de sangue, urina e raio-x de pulmão. A coisa toda é tão absurda que a solicitação dos exames é feita pela secretária, que assina em nome do médico. E, claro, os exames têm de ser feitos nos laboratórios indicados por eles.

Depois de prontos, o próprio médico os encaminha à Ottawa. Lá são analisados e, após vários alguns dias, o consulado decide pela emissão ou não do visto. Quando pronto, o passaporte volta para o VAC e, de lá, é enviado à nossa casa.

Agora, a linha do tempo:

  • 03/08 – Envio dos documentos ao VAC.
  • 06/08 – Confirmação de recebimento dos documentos pelo VAC
  • 15/08 – Consulta médica
  • 17/08 – Envio dos exames à Ottawa
  • 22/08 – Chegada dos exames no Canadá
  • 30/08 – Finalização do processo
  • ? – Recebimento do passaporte em casa. Os serviços da DHL são bastante eficientes, então agora é a parte mais rápida.

Sobre o atendimento do VAC: uma porcaria. As atendentes ao telefone são até simpáticas e educadas, mas não têm poder de resolver nada já que estão numa central telefônica fora do escritório. Elas pedem que enviemos e-mails diretamente ao VAC, que nunca são respondidos de acordo com o que foi perguntado. O serviço do VAC é caro e ineficiente. Sugestão ao consulado: troque de despachante!

Pra finalizar, as despesas que já tive com o visto:

  • Taxa de processamento: R$ 240,00
  • Taxa de serviços do VAC: R$ 70,00
  • Taxa de envio da DHL (envio do passaporte SP-Natal): R$ 103,00
  • Sedex 10 (envio dos documentos ao VAC): R$ 94,97
  • Hospedagem, alimentação e deslocamento até Recife: R$ 350,00 – não tenho o valor exato, mas estimo que seja por aí.
  • Consulta médica: R$ 260,00 – sem recibo, porque com recibo é mais caro! [Quem não tem plano de saúde, paga mais R$ 180,00 pelos exames)
  • Taxa de envio da DHL (envio dos exames Recife-Ottawa): R$ 110,00
About these ads

5 thoughts on “Virgínia e o visto canadense (Tô aqui ainda, Brasil!)

  1. Fui aprovado pelo intercambio no ciências sem fronteira (canada) também vou entrar neste processo do visto, sangue nós zoi.Brigado agora sei por onde começar.

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s